Postectomia


A postectomia é, provavelmente, o processo de intervenção cirúrgico mais antigo do mundo e, talvez, uma das técnicas mais executadas pelos médicos especializados. Este cirurgia ainda é efetuada sob razões religiosas, culturais ou familiares.  Estima-se que 01 em cada 07 homens tenham sido circuncisados no mundo.

A clínica Renovare, situada na SEPS Q 709/909, tem o prazer de discorrer a respeito deste tema tão polêmico nos dias atuais.

Então o que é postectomia?

Postectomia, popularmente conhecida como circuncisão, é a intervenção cirúrgica que consiste na remoção do prepúcio, aquele excesso de pele que recobre a cabeça do pênis, com o propósito de melhorar a higiene íntima e o desconforto eventual que o homem pode sentir durante o ato sexual.

Este procedimento é também denominado de cirurgia de fimose e pode vir a ser indicado pelo médico quando os demais tratamentos falham. Antes de submeter o paciente a uma cirurgia, os médicos tendem a optar para procedimentos que são conhecidos por serem mais naturais, como a aplicação de pomadas sobre o prepúcio que ajudem no descolamento da pele.

Mas como é realizada essa cirurgia?

Todo o procedimento é efetuado com o auxilio de anestesia geral ou local, cabe ao médico especializado em urologia escolher, de acordo com o caso clínico do paciente, qual a mais adequada. A postectomia é uma técnica bastante simples e segura, sendo normalmente aconselhada a meninos após o desfralde ou antes disso em algumas situações bem específicas como, por exemplo, infecção urinária de repetição. Esta cirurgia também pode vir a ser realizada em adolescentes e em adultos, contudo, a recuperação pós-cirúrgica tende a ser mais dolorosa.

Os benefícios que uma postectomia fornece ao paciente

A retirada do prepúcio proporciona diversas vantagens pessoais para o homem, entre elas:

·      Melhora da higiene íntima (remoção completa do esmegma – secreção que se acumula entre a pele e a glande);

·      Redução das chances de infecção nessa região;

·      Redução dos riscos de infecção urinária;

·      Redução no risco de contração de doenças sexualmente transmissíveis:

o   HPV;

o   HIV;

Ressaltando que independentemente do homem ser ou não circuncisado, o uso da camisinha ou qualquer outro tipo de métodos anticoncepcionais é primordial durante a relação sexual!

Como é a recuperação deste procedimento?

Esta técnica cirúrgica possui uma recuperação relativamente rápida, em aproximadamente 10 dias o paciente já não é mais acometido por sangramentos ou sensações de dor. Caso o paciente venha a ter ereções indiretas, que ocorrem durante o sono, é possível que a recuperação aconteça de uma forma mais gradual. 

É possível que o médico recomende a troca do curativo para o dia seguinte ao do procedimento. A orientação é umedecer uma gaze para que a retirada seja menos dolorosa. O paciente deverá ser cuidadoso ao retirar gaze protetora para então lavar a área com água e sabão, sempre prestando atenção para não causar algum tipo de sangramento. A retirada do curativo deverá ser 24 horas após o procedimento cirúrgico e o médico orientará quanto a necessidade de manter o uso do curativo ou não. Ao término do banho o paciente irá aplicar uma pomada anestésica de indicação médica, para auxiliar na cicatrização, para então fechar o curativo com uma gaze esterilizada. É de extrema importância para a cicatrização que a área operada fique sempre seca.

Recomenda-se que o paciente siga as seguintes instruções para uma melhor recuperação cirúrgica:

·      Evitar qualquer tipo de esforço físico nos 03 primeiros dias após a cirurgia;

·      Ficar de repouso o máximo que conseguir;

·      Colocar uma bolsa de gelo sobre a área operada para redução de um possível inchaço e dor;

·      Seguir corretamente o horário dos medicamentos;

·      Evitar relações sexuais por um período de, no mínimo, 01 mês após o procedimento cirúrgico;

Ao término do período estipulado como recuperação, é possível observar os resultados positivos da postectomia, sendo viável ao homem verificar a sua glande.

Possíveis riscos da postectomia

Uma vez realizada em um ambiente hospitalar, esta intervenção cirúrgica não oferece grandes riscos para a saúde do paciente e ainda propicia uma recuperação rápida e adequada. Entretanto, existem casos em que o paciente tenha sido acometido por algumas complicações como:

·      Sangramento;

·      Infecções;

·      Estreitamento do meato uretral;

·      Remoção excessiva do prepúcio;

·      Remoção insuficiente do prepúcio;

·      Assimetria prepucial;

 

Ainda com dúvidas? Não perca mais tempo, ligue já e agende uma consulta com um de nossos profissionais altamente especializados! Na clínica Renovare, nós cuidamos de você!